30 julho 2009

O sobrevoo da dúvida


Estar certo das coisas é contemporâneo, chique, elegante. Um homem cheio de certezas quer parecer mais atraente do que realmente é e talvez consiga. Já que as pessoas em volta miram a confiança do outro para se sentirem também confiadas ou apenas buscar o amparo das horas ruins. Mas digam o que quiserem, todo mundo tem dúvidas.

Duvidamos do amor de quem diz nos amar. Com razão, pois as palavras são fáceis demais e a mentira fala com fluência diversos idiomas. Preto ou branco. Integral ou desnatado. Serra ou praia. Pudores ou sexo casual. E quando menos percebemos, a dúvida vai impulsionando o progresso da humanidade que evolui para responder às próprias indagações. Tivemos que inventar Deus para depois perguntar se ele existe. Dúvidas, afinal, são os maiores maquinários do pensar.

Algumas questões relacionadas à dúvida se resolvem facilmente. Antes de refletir “escada ou elevador” é capaz de já termos subido. Outras vezes a vida não dá a chance de resumir e despeja sobre nós dúvidas tinhosas que consumirão pensamentos. E tempo. No ímpeto da ligeireza – qualidade sobre-humana que cremos dominar – tomamos decisões ultrapassadas, então digamos, não ao alcance da nossa dúvida original. Por querer sintetizar tudo num ‘sim’, num ‘não’, sem considerar o luxo e a extensão do ‘talvez’.

Há aquelas que deixamos passar por nós, em algum momento, e jamais irão voltar para afirmar nosso ar sabichão: “será que não era pr’eu ter nascido em outra encarnação, descido naquela estação?”. Atire quantas pedras quiser, enfim, aquele que nunca duvidou de si.

Imagem: Luís Lobo Henriques.

5 comentários:

Ludmila disse...

E um grande amigo destas dúvidas é um (às vezes) impertinente condicional chamado "se...". Gosta de mim, este dito cujo. Gosta mesmo.

Rafael Belo disse...

Há sempre momentos de duvidar principalemente de si mesmo quem dirá do próximo .Pod havr confiança sem certeza, já que a única é do apagar do corpo no fim. beijos IS.

Deise Anne disse...

Hummm... eu duvido de muita coisa... de mim e dos outros, acho bom duvidar. me faz sentir mais viva.
eu prefiro duvidar a ter muitas certezas. no dia que eu achar que tenho certeza, vou estar perto do fim...

Rivison disse...

Olá, td bem? Obrigado pelo comentário no meu blog... Andei vendo seus textos, são excelentes tbm...! Eu acho q já te conheço... Eu tava no concurso da Ufal mês passado e vc foi comigo e uns amigos para o ponto de onibus, inclusive pegamos o mesmo ônibus.. rs.. Caso tenha msn, me adiciona: rivi_nitrorock@hotmail.com
- Bjos

Anônimo disse...

Se quer duvidar calada,
Mantenha a testa franzida...
Mas se quer fazer alarde,
Grite em bom som na avenida,
Pra não ser mais novidade
No dia que for traída...