05 agosto 2009

Rapper apaixonado

Essa moça, às vezes, diz qualquer coisa que me toca. Ela me incomoda e não nota. Acende um cigarro e muda a cena. Tem olhos de fogo e de gaivota. Enlouquece minha sanidade – sã e retrógrada. Essa moça tem um não sei o que na roupa que balança. Se mansa é muito brava. Se agitada fecha todas as portas.

Ela ri de mim, faz poesia e canta. Não sabe dançar e dança conforme seus passos. E é garota pro’s meus braços, mãe pro meu amparo. Tudo o que há de mais moderno e mais sagrado. É mil revelações e uma surpresa: chuta o balde, muda o jogo, vira a mesa. Dona de um ciúme doentio e de imensa ternura. Mora comigo, corre nua.

Seus cabelos pretos, lisos, embaraçados quando acorda. Essa mulher não quer ter filho comigo e eu nem ligo. E diz que vai embora, depois volta. Ouve Paul MacCartney lavando os pratos. Abre seus braços para o meu abraço, deita comigo, rola. Ela nunca foi pegar o seu diploma do mestrado e diz que vai para o Havaí mês que vem. Se eu puder ir junto, tudo bem.

Antes dela eu tinha uma noiva legal, mas não chegava aos pés do seu astral. Ela é todas numa só e isso é episódio inédito. Ela já roubou a senha do meu cartão de crédito. Essa menina é um estrago. Estar com ela é me sentir tarado.

Imagem: Victor Melo.

5 comentários:

julio onofre disse...

falta colocar música nessa letra...kkkk. esse seu lado masculino me surpreendeu, tomara que seja só uma licença poética.kkk.
belo texto. ops. bela letra.
abraços

Rafael Belo disse...

UU que paixão de tara. Intenso Is. Belo e intenso. Agora o auúdiopost vem com o rap, aliás melodia? (risos) Beijos
Ps : acompanhe aquela história do Mistérios Abertos hehe será interessante e longa

Deise Anne disse...

Lindo, Isolda!
Percebo nos seus textos uma literatura da alma feminina, com todos os conflitos e maravilhas do ser mulher.
Você sabe de que material é feita.

Jamylle Bezerra disse...

Dá até pra imaginar a melodia...
:)

Ludmila disse...

Atacou de compositora também? Arrasou! Putz!