20 dezembro 2009

Factual

- Amor...
- Hum.
- Você me ama?
- Amo.
- Quanto?
- Quanto o quê?
- Quanto me ama.
- Ah. Muito.
- Muito quanto?
- Muito muito.

(Vira a página do jornal)

- Amor...
- Hum.
- Do tamanho do Maracanã?
- O quê?
- O amor.
- Sim... maior.
- Maior?
- Maior, meu bem, maior. Vem espremer uns cravos nas minhas costas.

(Fecha o jornal)

- ...
- Ai.
- Tá doendo?
- Não, continua.
- Sabe, estive pensando...
- Hum.
- Poderíamos casar qualquer dia desses.
- Hum-rum.
- Essa geladeira ainda está boa. O fogão. Tenho algumas economias, um dinheiro na poupança. E nossos pais, certamente, ajudariam.
- ..
- Amor?
- .

(Encostou-se no outro e foram dormir quietinhos)

Imagem: Manuela Viola.

3 comentários:

Helena Frenzel disse...

Oi Isolda, já havia lido esse texto no seu canto no Recanto. Legal! Original! Em tempo: Feliz Natal e Próspero 2010! Muito mais inspiração! :-) Um abraço fraterno.

Eduardo Leite disse...

Poxa! Muito bom! Adorei esse retrato do amor cotidiano, daquele amor que não passa nos filmes, do amor verdadeiro. Adorei, adorei mesmo!

Eraldo Paulino disse...

Simples. Simplesmente lindo!