16 março 2011

Paixão

Eu não sei se tem coisa mais bonita do que gente apaixonada. É provável que sim, mas prefiro imaginar que não. Melhor ficar pensando que a pessoa, quando se apaixona, atinge aquele nível de beleza extrema, apesar da flagrante cara de boba. Já me apaixonei de ficar assim – quem não? – e foi como se o mundo tivesse ganhado cores novas. Apaixonar-se é quase voar. Não, é mais do que voar. É voar alto.

Na pracinha aqui perto de casa tinha um casal apaixonado trocando olhares, beijos, carícias brandas. Olhando aqueles dois, pensei: acho uma injustiça de dar dó malfadarem as paixões diante da supervalorização do amor. Ora, certos relacionamentos parecem que nasceram para serem breves e intensos. Que mal há nisso? Talvez deixassem de ser bons se se alongassem um pouco mais ou muito mais. Algumas pessoas não cruzam, uma a vida da outra, para se amar, mas para apaixonar-se, viver um momento de plenitude que pode durar um ano, uns meses, um dia. E ninguém seja bobo de deixar passar.

Estar apaixonado é também não ter medos, pelo menos não conscientemente. Depois vem o amor e lhe mete tudo quanto é pavor em cada passo. Você fica com medo da pessoa amada morrer, de traição, de engravidar, de não poder ter filhos, de qualquer coisa. No tempo da paixão não, é diferente: parece que as coisas só vão dar certo. E se faz cada uma que nem cabe contar...

Estou bem, como se nunca tivesse atingido, na vida, este estágio de quase não ter medos. Meu único pavor agora é que um vento traiçoeiro me derrube das nuvens. Sinto-me tão apaixonada e - você não vai acreditar por quem: – é por mim mesma.

Imagem: Google Imagens.

9 comentários:

O Divã Dellas disse...

Tem coisa mais gostosa do que se pegar com aquele sorriso bobo no rosto?

Ah, o amor que perdoe, mas ultimamente só a paixão cabe em mim. Tenho me apaixonado constantemente.

Beijos, querida!

Verônica

O Divã Dellas disse...

Eu tenho um leque de histórias lindas, intensas e rápidas.
Viveria tudo de novo...
ADORO estar apaixonada.
E apaixonar-se por si própria é necessário para um sentindo maior na vida.
Beijo,
Cinthya

http://odivaadellas.blogspot.com

Rafael Belo disse...

E não são assim as verdadeiras paixões avassaladoras?! Começa em nós... belo texto querida saudades beijos

Fabiana disse...

Realmente, falou e disse, e me fez suspirar!
E sim, não tem coisa melhor do que descobrir que somos apaixonados por nós mesmos.
Bjs

Ludmila disse...

"Ora, certos relacionamentos parecem que nasceram para serem breves e intensos. Que mal há nisso? Talvez deixassem de ser bons se se alongassem um pouco mais ou muito mais. Algumas pessoas não cruzam, uma a vida da outra, para se amar, mas para apaixonar-se".

Estava precisando ler isso. Embora o relacionamento vire uma hipótese eterna, coisa que machuca, lá do fundo da mente... Mas é isso, não é? Histórias assim não deixam de ser bonitas.

majsh disse...

Não sei!,,,, Paixão... Hum!!!, depende da fase em que estamos vivendo. Tem fases que temos muita paixão, mas paixão pela vida, uma sede de viver e amar intensamente, mas um amor eterno, sereno, com cumplicidade, respeito e mais segurança, portanto sem medos. Esta paixão avassaladora me parece aventureira. Cada um no seu tempo, não é mesmo? Bjs querida.

moniCa delázari mosqueira disse...

ARRASOU IsoldA!

Esse eu queria ter escrito!rs

ps

Metamorfose Ambulante disse...

O problema da paixão é que ela imobiliza: vive-se apenas e para o objeto da paixão. Ela toma todas as horas, todos os pensamentos, todos os sentimentos. Por isso não pode durar muito. Adaptando Vinícius, que seja infinita enquanto durar!

Emoções disse...

Da boca dos poetas mais amadores saem as palavras mais belas e puras,mesmo que poucas e curtas são palavras que gritam de um coraçã que ainda tem esperança.