05 dezembro 2013

Não perca tempo, perca dinheiro


Todos crescemos ouvindo e aprendendo a repetir a máxima "tempo é dinheiro" e a alguma altura da vida acreditamos que de fato seja. Ninguém quer perder dinheiro e, por tabela, associa-se que perder tempo é desvantajoso. Bem, é. O que a comparação esconde é que o dinheiro que se perde - centavos ou milhões - pode ser recuperado um dia, já o tempo, esse amigo que ajuda a secar as feridas, não volta atrás. Nunca mais. 

Então, tempo não é dinheiro. Tempo é mais do que dinheiro e se de alguma maneira fosse possível estocar cronometria, as moedas mais cobiçadas não teriam valor. Ainda assim, perder qualquer quantia nos tira a paciência e até a sanidade. Perder tempo, por outro lado, é pecado menor, pois amanhã podemos compensar o que não deu para viver hoje - esse deve ser o pensamento arrogante mais universal de todos. Como se o amanhã existisse fora da projeção.

Dia desses eu estava certa de que perdia meu tempo vendo um papo filosófico sobre a finitude humana, quando surgiu algo como "viver é estar entre a vida e a morte". Pensamento simples demais, mas quantas vezes chegamos a ele com naturalidade? Essa coisa de estar entre a vida e a morte parece sina de quem sofreu acidente grave, tem um tumor inoperável na cabeça, passou da idade, e não a condição humana que verdadeiramente é. Estamos entre a vida e a morte sempre. Nossos filhos estão, nossos pais, nossos colegas de profissão também. Falando assim, perder tempo fica um pouco mais aterrorizante, não? 

Dinheiro é bom, só não deveria ser equiparado ao tempo. Afinal, qualquer um de nós é capaz de acertar quantas notas tem no bolso agora. Mas, para viver um novo amor, para o abraço apertado, para a risada, o banho de chuva, o olho no olho, o final feliz, (...), quanto tempo nos resta?

3 comentários:

Helena Frenzel disse...

Adorei este texto Isolda. Se me permite, gostaria de citar, com o devido crédito, o último parágrafo em uma postagem lá no Bluemaedel. Nunca perco tempo vindo aqui, NUNCA mesmo, tempo a gente investe, tempo a gente aproveita, o tempo é o viver. Grande beijo!

Isolda Herculano disse...

Obrigada, Helena. Claro que pode partilhar o pensamento. Beijo.

Rafael Belo disse...

é tempo não é dinheiro, mas tanto tempo o "enraigando" acaba parecendo ser e as pessoas, infelizmente, preferem perder tempo a dinheiro. é uma perda de tempo rs. ótimo texto saudosa querida, beijos e ótima semana.